A verdadeira diferença entre Cannabis Indica e Sativa

Compartilhar:

Plantas de cannabis sativa ou indica são diferentes no tamanho, no formato das folhas e na maneira como elas se ramificam!

Atualmente, graças a popularização do cultivo dessa planta ao redor do mundo, conseguimos entender realmente quais são as características dessas espécies de cannabis.

As diferenças entre cannabis Indica e Sativa

Durante anos, consumidores da planta no Brasil foram induzidos a acreditar que plantas de cannabis ofereciam efeitos diferentes de acordo com a sua espécie.

“A cannabis indica deixa você lesado, enquanto a cannabis sativa deixa ativo e criativo”.

Mas e se eu falasse pra você que em alguns lugares do mundo, como Portugal, por exemplo, esse entendimento é justamente o contrário?

Ao contrário do que se conhece no Brasil, em Lisboa é a sativa que deixa lesado e a indica deixa você ativo e criativo.

Essa mudança de interpretação de um país pro outro acontece, por que esse tipo de categorização da planta não tem nenhum embasamento científico.

O que muda entre a cannabis Indica ou Sativa

Cannabis Indica ou Sativa diferenças

Separar a cannabis em indica ou sativa, não está completamente errado, essas categorias realmente existem, assim como as híbridas, que são uma mistura das duas.

Porém, esses nomes estão mais ligados ao formato das plantas e a sua mistura genética. Nada a ver com o efeito causado por ela.

Uma planta de cannabis sativa, por exemplo, é uma planta mais alta, com ramos mais espaçados, e folhas finas e pontiagudas.

Enquanto a cannabis indica é uma planta mais baixa, com ramos mais compactos e folhas largas.

Plantas de maconha híbridas podem aparecer com características misturadas.

Plantas de maconha diferentes causam efeitos diferentes?

Já entendemos que as plantas de cannabis podem ser diferentes na sua aparência, mas elas realmente causam efeitos diversos?

Sim! Mas existem alguns pontos importantes a considerar.

Independente se é cannabis indica ou sativa, o efeito é resultado da mistura entre os terpenos, os canabinóides e os receptores de endo-canabinóides no organismo da pessoa.

Os terpenos são moléculas de aroma e sabor, que dão o cheiro da planta.

Eles desempenham um papel importante na defesa contra predadores e na atração de agentes polinizadores.

É por causa deles que existe maconha com cheiro de limão, manga, morango e até querosene.

Enquanto isso os canabinóides são outras substâncias que a planta produz, como o THC, o CBD, o CBG, CBN. Existem centenas deles que podem aparecer em maior ou menor quantidade.

No momento do consumo, a combinação específica desses canabinóides e terpenos, em contato com o sistema endocanabinóide, é o que realmente pode dizer o tipo de efeito que o usuário vai sentir.

Efeitos da cannabis indica, sativa e híbrida

Usuários recreativos de maconha relatam os seguintes efeitos:

  • Euforia: Usuários relatam uma sensação de relaxamento e felicidade.
  • Alterações sensoriais: A cannabis pode intensificar percepções como visão, audição e paladar.
  • Aumento do apetite: É comum sentir uma forte vontade de comer após o consumo.
  • Redução da ansiedade e estresse: Alguns usuários relatam uma diminuição temporária de ansiedade e estresse.
  • Alterações de percepção do tempo: O tempo está passando mais devagar ou mais rápido?
  • Alterações na memória e cognição: A cannabis pode afetar temporariamente a memória e a capacidade de concentração.
  • Coordenação motora: O consumo de cannabis pode prejudicar a coordenação e o tempo de reação.
  • Potencial para dependência: O uso excessivo e prolongado pode levar ao desenvolvimento de dependência.

Pacientes de cannabis medicinal podem esperar alguns destes benefícios:

  • Alívio da dor: A cannabis é frequentemente usada no tratamento de dores crônicas.
  • Controle de náuseas e vômitos: Para pacientes que passam por tratamentos de quimioterapia ou que têm distúrbios gastrointestinais.
  • Redução da espasticidade muscular: Pode ajudar pacientes com esclerose ou lesões na medula a controlar os espasmos musculares.
  • Estimulação do apetite: Beneficia pacientes com perda de apetite devido a condições médicas.
  • Melhoria do sono: Usuários com insõnia relatam uma melhora na qualidade do sono com o uso de cannabis.
  • Redução da inflamação: Alguns componentes da cannabis têm propriedades anti-inflamatórias que podem ser úteis no tratamento de condições como artrite.
  • Tratamento de convulsões: O canabidiol (CBD) tem mostrado eficácia no controle de convulsões, principalmente em casos de epilepsia refratária.
  • Tratamento de distúrbios psiquiátricos: Em alguns casos, a planta pode ser usada para tratar distúrbios como ansiedade, transtorno de estresse pós-traumático (TEPT) e depressão.

E aí, você acha que alguma delas faz mal?
Aqui na Radio Hemp Maconha faz mal quando falta!

Abrir bate-papo
A equipe da Radio Hemp tá atenta! Se apresente e diga se é um ouvinte, cliente ou lojista que já vamos te atender!